Blog

Acompanhe nossos conteúdos e saiba tudo sobre Gestão Escolar, relacionamento escola/pais/alunos, uso da tecnologia na educação, entre outros temas.

Compartilhe

Dicas práticas para sua escola sobreviver em tempos de recessão econômica

Escrito por Hillary Moraes

Dicas práticas para sua escola sobreviver em tempos de recessão econômica

A pandemia do novo coronavírus está afetando negócios de vários setores. Da perda de clientes ao trabalho remoto, as coisas estão mudando rapidamente e as empresas estão sendo forçadas a se adaptar. Em crises como essa, enquanto as receitas das empresas ficam prejudicadas, as despesas são mantidas e o bom andamento do negócio é prejudicado.

Infelizmente, é impossível prever quando uma recessão ocorrerá ou o que a causará. Mas existem algumas consequências comuns que recessões econômicas causam nas escolas e existem também formas de amenizá-las.

Neste conteúdo, reunimos as melhores dicas e informações para ajudá-lo a sustentar sua escola em momentos economicamente desafiadores.

Leia também: Educação em tempos de pandemia: o papel do gestor escolar

6 dicas para enfrentar a crise

1. Trace cenários e se prepare para eles

Depois de analisar o cenário geral do país e do setor de ensino e buscar entender melhor sobre como seu negócio pode ser impactado, é necessário realizar um planejamento que abranja diferentes períodos de duração. Como não é possível prever quando a situação vai se normalizar, é importante traçar cenários como:

  • Crise de 30 dias
  • Crise de 60 dias
  • Crise de 90 dias

Um planejamento como esse contribuirá para um melhor controle das implicações financeiras caso a crise se estenda.

2. Projete despesas dos próximos meses

É preciso pensar no tempo que você consegue se manter com o que tem em caixa. Para isso, analise as despesas atuais e divida-as em setores, estabelecendo bem os tipos de gastos.

Tendo em vista essa previsão de quanto dinheiro é preciso para manter a escola funcionando pelos próximos meses, os passos seguintes ficam mais claros e bem planejados.

3. Tente reduzir os custos

Durante uma recessão econômica, cada centavo conta. Cortar custos em uma instituição de ensino, assim como em qualquer empresa, é um processo que requer uma análise cuidadosa, avaliando bem os impactos de cada decisão.

Para isso, é preciso organizar todas as informações financeiras da escola e analisar os registros que apontam onde o dinheiro está sendo gasto. Só assim é possível verificar quais serviços não essenciais podem ser suspensos, garantindo a economia de recursos.

4. Renegocie com fornecedores

Assim como você, seus fornecedores desejam manter o negócio vivo. Por isso, existem grandes chances de estarem dispostos a negociar os termos do contrato em vez de perdê-lo como cliente.

Caso sua instituição esteja em um imóvel alugado, ter que pagar integralmente uma despesa alta como esta pode agravar sua situação econômica e comprometer bastante o caixa da escola. Assim, uma boa alternativa é pedir uma redução temporária ao locador.

Afinal, além dos proprietários entenderem os desafios pelos quais todos estão passando, eles sabem que é improvável que encontrem novos inquilinos durante períodos difíceis.

5. Use ferramentas tecnológicas

Em épocas de crises econômicas causadas por pandemias, por exemplo, se estabelece o distanciamento social e a paralisação das atividades escolares. Assim, o uso da tecnologia é essencial para ajudar a manter o andamento do ano letivo.

Caso sua escola não tenha um sistema para fornecer aulas on-line, existem diversas plataformas que possibilitam a transmissão de aulas ao vivo, muitas delas gratuitas. Cabe a você escolher a melhor opção que se adapte aos serviços oferecidos pela sua instituição. Você pode conferir algumas delas clicando aqui.

Além disso, o uso de um software de gestão escolar ajuda bastante a aproximar os pais e alunos da escola, já que alguns oferecem funcionalidades que garantem a interação virtual e o acesso a conteúdos, atividades e avisos.

Conheça a importância de um sistema na nuvem para o home office

6. Renegocie salários

Se julgar necessário, mexa nos salários - mas com cuidado. É possível cortar os salários da maneira certa, mantendo a confiança da equipe e o andamento das atividades escolares.

Explique por que os cortes são necessários. Informe ao seu pessoal que você está tentando manter a escola funcionando, porque deseja que todos continuem exercendo suas funções. Garanta que, assim que a situação melhorar, os salários voltarão a subir. Pode até mesmo ser o caso de combinar o pagamento futuro da quantia que foi cortada.

Além disso

A inadimplência está aumentando, e agora?

Em meio à crises, se torna comum o aparecimento de dificuldades financeiras, e por isso o índice de inadimplência tende a subir. As escolas são algumas das primeiras afetadas, uma vez que as mensalidades têm grande peso nas despesas das famílias.

Por isso, é importante se atentar às maneiras de amenizar o problema e controlar melhor a situação.

Veja o que fazer para diminuir a inadimplência na sua escola

Transparência na comunicação

Sendo transparente com todo o público (funcionários, alunos e responsáveis) a escola mostra que está ciente dos desafios enfrentados por todos e está agindo da melhor forma possível.

Sempre que questionado, também é interessante enviar um material (como um gráfico) que mostre aos pais ou alunos onde o dinheiro das mensalidades é utilizado pela instituição. Assim, seus clientes passam a saber dos tipos de despesas como aluguel, salários de professores, materiais e a participação de cada um no uso dos recursos da escola.

Diálogo com o responsável financeiro

A comunicação é fundamental, podendo contribuir bastante para resolver o problema. Através do diálogo com o inadimplente, mostre sensibilidade e converse sobre as melhores formas de negociar o pagamento.

Muitas vezes, medidas simples como renegociar as dívidas e oferecer a opção de parcelamento podem ser a solução para regularizar o pagamento.

Linhas de crédito/empréstimos

Como última opção, obtenha ajuda financeira através de empréstimos. Se a situação não permite que sua escola se sustente pelo período planejado, é importante avaliar as alternativas e buscar recursos para manter o funcionamento da instituição.

Apesar de diversos bancos oferecem linhas de crédito, você também pode optar pelos oferecidos pelo governo federal através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Gestor, agora que você conheceu as ações essenciais para sustentar sua escola em tempos de crise, é importante lembrar que com um software de gestão escolar eficiente você otimiza todos os setores da instituição, do acadêmico ao financeiro. Saiba como contar com nossa ajuda solicitando uma demonstração gratuita do iScholar.

Facebook | Instagram

Até a próxima!